quarta-feira, junho 29, 2011

Criacionismo vs Evolucionismo

Criacionismo? Há bases científicas do lado dessa teoria?

Para quem é Cristão mas crê em Evolucionismo, como fica a Bíblia?

Quanto ao tempo do Universo e da Terra, como saber que ela tem tantos milhões de eras de idade- Tudo foi feito em 6 dias?*
Há mistérios para os quais não podemos ter certezas, mas podemos exercitar-nos na tentativa de compreender possibilidades.

No princípio criou Deus os céus e a terra.
E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. (Gênesis 1.1-2)
Eu fiz a terra, e criei nela o homem; eu o fiz; as minhas mãos estenderam os céus, e a todos os seus exércitos dei as minhas ordens. (…)
Porque assim diz o SENHOR que tem criado os céus, o Deus que formou a terra, e a fez; ele a confirmou, não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada: Eu sou o SENHOR e não há outro.  (Isaías 45)
E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele. (Colossenses 1:17)


Ao princípio, desta Criação, o Seu ESPÍRITO percorria: -"a face das águas." (Gênesis 1:2) – Ora, se DEUS é o criador de todas as coisas: ou a Bíblia é incoerente ou a informação até aqui está incompleta. Ora, vejamos que já existiam os espíritos, pois está escrito que  já JESUS havia sido morto, antes da fundação do mundo (Apocalipse 13:8). 
Não seria o caso de que o próprio Big Bang se tenha sucedido a partir de uma guerra iniciada nos céus? - Antes do início desta  Criação que inclui o Homem.
Pelo que se deixa transparecer, a Bíblia  quando se reporta ao Princípio em Génesis, está a referir-se à Criação deste Mundo, deste Cosmos organizado. 
DEUS, ainda mesmo em eventos atuais, permite que o diabo faça certas coisas, mas essa permissão contribui para uma certa finalidade oculta, que os sábios não adivinham.



E fez Deus a expansão, e fez separação entre as águas que estavam debaixo da expansão e as águas que estavam sobre a expansão; e assim foi.
E chamou Deus à expansão Céus, e foi a tarde e a manhã, o dia segundo.
E disse Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca; e assim foi. (Gênesis 1.7-9)

Havia uma indiferenciação nas formas, numa natural desordem , àgua  (em estado líquido, gasoso, sólido?). A própria -“terra era sem forma e vazia”-(v.2).
Pelo que, após um período, DEUS, olhou para uma certa porção da matéria e decidiu então, tratar com ela, como nos é narrado. Apareceu então a porção seca- " e ao ajuntamento das águas chamou Mares"( Gênesis 1:9).


E disse Deus: Haja luz; e houve luz.
E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas.
E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro. (…)
E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos. (…)
E foi a tarde e a manhã, o dia quarto.


DEUS, havia dito- "faça-se luz" e que chamou à luz Dia e Noite às Trevas, mesmo antes de ELE ter criado o sol, a lua e as estrelas. Moisés , quando se referia  à palavra Dia, referia-se, afinal, a dias de Luz , de Vida, de Entendimento, de organização sobre a desordem, de preenchimento, de Actividade sobre o vazio, porque ele chamava Dia ao início e fim de cada fase  da totalidade da Criação.

A matéria, já existia, antes do 1º Dia.
1º Dia: Abriu-se o Entendimento,  sobre a matéria, achando-se para esta, uma finalidade, porque DEUS assim quis.
2º Dia: Separaram-se águas; aparecem os astros e a Terra - e nesta, os mares. Depois de serem, águas e terra,  observadas pelo Omnisciente, DEUS executou algo concreto com elas.
3º Dia: DEUS espalhou vida na Criação (na Terra). Fez com que esta germinasse; parte da matéria, tomava formas de vida.
4º Dia: Além de atribuir a Vida auto reprodutível a parte da matéria, deu-lhe condições automáticas de manutenção dessa característica.
5º Dia. Nova função de vida material. Animais( de anima, alma). Desta feita, foram criados animais aquáticos e aves que se elevavam pela atmosfera terrestre. Portanto, tratou-se aqui da formação de seres mais complexos, capazes de se moverem em função das suas necessidades de sobrevivência (instinto de sobrevivência) e como tal com relativa capacidade de se auto-governarem em busca de se satisfazerem conforme as suas espécies , dentro do que a Natureza Criada fornecia.
6º Dia. Os animais terrenos e o  Homem. Os animais que a Ciência considera como superiores, os mamíferos, entre outros, como os repteis, foram guardados para o último Dia, a última fase da Criação. O Homem - enquanto ser híbrido , de carne e espírito, animal mamífero , dotado de capacidade racional, com Vontade a-circunstancial, isto é , com capacidade de se auto-afirmar perante a matéria de que faz parte, com capacidade de se decidir sobre o seu instinto natural, de se sobrelevar à sua natureza carnal -  para governar sobre tudo o que na Terra lhe fosse alcançável, como um Mordomo da Terra, foi criado como o clímax da Criação, sendo Adão o primeiro da última espécie a ser criada, a Humanidade.



E disse Deus: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente está nela sobre a terra; e assim foi. Gênesis 1:11
E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro. (v.13)

Fonte: http://www.bibliaonline.com.br/acf/gn/1


 Ora, como produziriam as sementes as ervas ou as vegetações, -“conforme suas espécies”-  no 3º dia, antes mesmo de existirem os luminares, criados no 4º ?
DEUS é que é A Vida. Esta não nasceu com o sol, anda que este  tenha sido dado para governar sobre o dia (Gn 1.17-18) , mas Vida, de tudo quanto tem Vida, vem da Sua Palavra, - ainda que nos dê o luminar como ministro Seu, para sustenstar ou governar uma parte dela  -até porque, onde está DEUS está, há Luz que vem de Si, pois DEUS é Luz, conforme a coerência que se encontra aquando nas Escrituras dizem- "E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas. (1 João 1:5) ",  “E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os ilumina(…)”.(Apocalipse 22.5)**


Será que Genesis, com toda aquela Historia inicial é apenas uma fábula? Sera que a serpente nunca falou, sera que o efeito gelidificante porém agressivo e repelente que sentimos perante uma serpente, nada tem a ver com a maldição da inimizade entre a semente da mulher e a da serpente?

Bom, se a serpente falava no Éden, não vejo como provar, contudo o efeito repelente é algo subjectivo (sentido) e geral a quase todo o ser humano que temos tido oportunidade de sondar quanto à impressão que tem em relação às serpentes.
Com relação à possibilidade de as serpentes, haverem tido no passado, membros, bastará uma pesquisa  na Internet para obtermos resposta.***Devo contudo recordar que, com relação à constatação de matéria científica em que se prova a existência de tais membros, o comum dos cientistas, fazem teoria de que a serpente perdeu tais membros num longo processo de adaptação, que levaria milhões de anos; tal é incoerente, pois  vai contra o sentido de um melhoramento de condições físicas neste animal. Existiria uma perda desfavorável ao que se pudesse conceituar como evolução. Ora, os evolucionistas fazem crer que a Natureza é sempre progressista e nunca retrocede.
Como eu penso: será uma incoerência, chamar de evolução a uma perda de membros, e não faria sentido, face à Natureza nem face a uma comparação com as vidas e evoluções sugeridas no mundo de répteis em tudo muito semelhantes às serpentes, que ainda hoje subsistem.
Quem creia na Bíblia, pode sentir satisfação em ver pelos factos observáveis, que estes corroboram  a dita “Fábula” genesíaca, quando esta revela em sua história que a serpente perdeu os seus membros como consequência da maldição que sofreu por DEUS –(“Então o SENHOR Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a fera, e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida.” (Gênesis 3:14 ) **** - também a isto DEUS acrescenta – “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”) (Gênesis 3:15) – pelo que, o impulso repulsivo  natural que a Humanidade sente,  corrobora a factualidade da narração genesíaca. 
Uma relevância aparte  é a profecia que nela se profere: a semente da mulher teria o “calcanhar” ferido ao esmagar a cabeça da serpente; - aqui sim, há linguagem figurativa, cuja interpretação é que um homem, nascido da mulher (somente da mulher, portanto, virgem), derrotaria o espírito que levara a serpente a executar o engano sobre nossa primeira mãe (Eva), sendo  ferido , com a Morte, apenas para dela sair Vitorioso, esmagando assim o poder da serpente - que era a Morte- porque se não deixou “enganar” pela tentação do pecado, (do qual o salário é  a própria Morte).*****

Ora, quais os critérios para definir um texto como sendo de carácter parabólico?
Onde o limite para entender se o texto é ou não passível de análise analógica?
Será que que não existem interpretações objectivamente correctas?
Será que o texto de Genesis, mais concretamente, é passível de uso legítimo de analogia?

Uma coisa é interpretar uma linguagem simbólica, uma linguagem poética ou conotativa, uma linguagem psicológica como as dos mundos oníricos (sonhos) ou a linguagem das crianças em pedopsiquiatria, outra coisa é olhar para quem nos fala , não entender , desacreditar e dizer que ela quer dizer uma coisa diferente do que quer dizer… pois, no caso da Criação, há uma Criação e não uma Evolução.
Somos livres para usar de criatividade e para entender um significado muito personalizado e inteligente quanto a um texto, mas não podemos nunca assumir esse entendimento como autêntico e correspondente ao espírito original do texto. Assim, nesta mesma ordem se incluem as opiniões que se devem anunciar enquanto tais e nunca como matérias de facto, sob pena de levar-se ao erro de formação de Conhecimento quem as atenda.
Há que observar que uma analogia não é uma interpretação extensiva, mas sim um socorro na ausência de uma orientação ou razão que se ligue a uma situação, pelo mínimo de "letra" ou palavra. Observar princípios ou razões aplicados em outras situações concretas com um grau de semelhança à situação em "mãos" e, por Princípios de Razão, adequar metaforicamente tal regra à situação presente onde há lacuna, é imperativo e necessário para proceder-se à Analogia.

O relato genesíaco não deixa transparecer ser um conto alegórico como os (resumidos) de JESUS, os quais se evidenciavam enquanto tais, servindo como um meio para maior compreensão das realidades, que queriam ensinar algo para a Vida Moral e real de quem O ouvia (ex.: parábolas das dracmas e das minas, do noivo e das noivas). Antes , transmite-nos na sua linguagem, um espírito, uma intenção clara de revelar factos da história de DEUS e da Criação e nunca uma parábola . Aliás, qual seria o propósito de tamanha historieta? Despropósito seria gastar tanta escrita com uma invenção para satisfazer a sede de conhecimento da Humanidade. Não, DEUS não é assim. Uma parábola deixa claro ser parábola, para que não digam que ELE inventa Estorias, mas que ELE é O grande ensinador, que usa metáforas que simbolizam algo nas vidas e na Moral. Ora , se DEUS inventasse toda aquela história, não teria sido com um propósito Moral inerente às Suas (de JESUS, p.e.) parábolas- mas teria sido um engodo e um engendro para , como eu disse e isso , na melhor das hipóteses, satisfazer (enganosamente) a curiosidade, a sede humana de Conhecimento.


Porque não aceitar a interpretação que a letra , em toda a sua extensão possível permite, para fugir para uma analogia, uma análise metaforicamente engendrada para que caiba nos espíritos que desconfiam da veracidade da letra , mas não a ousam desprestigiar face aos Paradigmas Científicos?
E onde se fornece a informação que nos deixe concluir que DEUS na verdade, ao criar o Homem à Sua Imagem e semelhança, teria começado com uma longa história antes de chegar ao Homem propriamente?


 


Eu não varro - "a Ciência para debaixo do tapete"-, mas falei que existem outras Teorias científicas, que deixam interpretar factos com cronologias diferentes às do Evolucionismo e que corroboram o texto Bíblico. Acontece que essas interpretações são pouco divulgadas, uma vez que não possuem o sensacionalismo que o Evolucionismo causa desde sempre.

O que eu penso é o que está escrito e claro na própria letra, que DEUS fez o Homem à Sua Imagem e Semelhança. E nunca precisaria de fazer com que o Homem fosse primeiramente um bicho, que se tornaria em peixe ou molusco e depois em algo tipo de ser híbrido, habitando entre àgua e terra, para depois ser um tipo de  lagarto, depois um macaco, depois uma quantidade enorme de hominídeos, até chegar ao homem actual. Quem sabe que DEUS não houvera terminado já sua feitura do Homem? - Pois para quem crê em evolucionismo, o homem, necessariamente , não estará ainda em evolução?

Essa ideia, da Evolução, não é passível de ser extraível da Linguagem Bíblica, nem com a melhor das eloquências, mas apenas pelo erro ou intenção de sobrepor  Teorias ainda não Provadas, mas conjecturadas  por Homens da Ciência; - que sinceramente me parece, já agora diga-se, que na maioria, nem eles nem seus discípulos terão lido sequer um trecho da  Bíblia e, dos que leram algo dela, na prática mostram tê-lo feito com preconceitos à mistura com muito pouco de mente aberta e objectiva; coisas tais que os têm levado a arrogar dizer que a Bíblia é uma história ficcionada.  - Veja-se aqui a cilada demoníaca: se até mesmo os cristãos (levados por ventos de doutrina humana dos que acima se inscrevem)dizem que Genesis é uma ficção,  uma metáfora, como se alcançarão novas almas?- pois se nós mesmos a desacreditamos, quanto a uma  revelação de maior  importância como o relato genesíaco, como se fora estória. Ora, convencem-se assim , tais “senhores da ciência” que esta Bíblia, apenas obstruiu a Ciência e prendeu o Homem do passado, mormente ocidental, à ignorância do Dogmatismo ditador e violento, sendo ela um instrumento perverso. Não é isso que tais homens fazem crer acerca da Bíblia, ainda que sem a conhecerem? 
A Ciência, e até mesmo a especulação filosófica, são fenómenos humanos concedidos por DEUS à Humanidade, pois são capacidades que só os animais humanos, híbridos numa dupla natureza , carnal e espiritual, possuem. Mas vejamos que os fenómenos filosóficos concebidos, não são Ciência propriamente, mas são opiniões aprofundadas pelo Pensamento. Agora sim, existe , num método científico, a necessidade de se recorrer a uma hipótese, e então depois fazer testes à hipotese para provar ao máximo possível, sua verificabilidade.
E a Ciência nem sempre obtém certezas , muito menos definitivas. O que era ontem uma estrela, é hoje um planeta que reflete luz advinda de uma estrela. Ou o que é hoje considerado como um primeiro avanço na Ciência, era ontem dogma científico, um Paradigma,  sancionado pelos homens da Polis e da Ciência, sobre o qual se impunha uma pseudo-autoridade divina para corroborar suas falsas religiões políticas, com as quais se manipulavam as massas, o Pensamento, e se enganava a Liberdade interior da Humanidade que se submetia à Sociedade, (como por exemplo, a Terra ser o centro do Universo ou ser plana, cuja primeira não nos deixa parecer os Escritos Sagrados e , cuja segunda os Salmos e Jó , deixam passagens que nos revelam algo diferente ou contrário, as quais passagens, passariam despercebidos a quem é leitor menos atento, quanto a essa matéria, ou para quem vivia num tempo em que essas perguntas não seriam mote de interesse ainda). Pelo que, não foram os Religiosos, mas primeiramente os institucionalistas, os políticos e o vendidos cientistas que ultrajaram a verdade com a ditadura sobre o Pensamento livre.
Onde se vai buscar a relação analógica para subtraír a Evolução?
Tal informação introduzida em nossa formação de Conhecimento (e na transmição e ensino deste) , advém de fonte exterior, totalmente, à Bíblia, porque supor a Evolução nunca pode advir de interpretação ou analogia dos Textos Sagrados, mas de ideias e teorias científicas que nada acertam com a Bíblia, pois a contrariam no que esta diz acerca da Criação e de como foi singrada.

Pergunto: nisto, não há Heresia?
Bom,pelo menos é sincera. Mas há que reconhecer este conflito com a Fé.
Felizmente, e como eu disse, há interpretações diferentes para a História Natural, feita por cientistas. E se por um lado a teoria da Evolução tem levado avante o seu endoutrinamento secular e tem feito dar à Bíblia um valor de Fábulas infantis que medievalmente pretendeu, ao longo da sua utilização, aterrorizar e manipular a Humanidade ao jeito de Ricos opressores, que fizeram ao longo da História das pessoas, seres estúpidos e sem inteligência, por outro, a Teoria da Evolução mostra-se extremamente irrealista, sendo a que à luz das probabilidades matemáticas, somente a existência da VIDA seria da ordem do absurdamente possível ela acontecer. Vejamos que para chegar ao Homem Racional e Emocional, tal absurdo é multiplicável ao cubo sobre cubo sobre cubo.******Pelo que: será tolo acreditar que afinal existe um Criador? ou será antes uma exigência da Inteligência, quando conhece certificadamente tais números? Por isso vinga a Teoria do Design Inteligente, o que leva os mais céticos a supor um DEUS.

Mas não é o DEUS que a Bíblia ensina ou dá a Conhecer, pois ela choca com o Evolucionismo frontalmente. Não admitir isso é não admitir factos evidentes e querer dar a entender a história genesíaca como uma fábulala ou parabola, é desacredita-la, como eu já disse.

Pelo que, quando o cristão consente com o Evolucionismo, ele não é apenas herege, mas um adormecido apoiante das ideias da Nova Era.
O que é a Nova Era? Ela ensina a Evolução, ensina que o Universo é Um todo, que a Energia assume estados diferentes, e que a nossa aparente forma e da matéria é apenas temporária e ilusória, pos somos um todo, parte da Energia, que é DEUS. Um DEUS que assume uma consciência suis generis , dando a cada ser Humano uma parte da consciência que tem e que o Homem pode religar-se à Consciência do todo pela auto-ajuda, pela iluminação, pelo Nirvana.
Certamente, as ideias base deste movimente multiforme assentam no hinduísmo, no paganismo indo-europeu e no budismo, mas a matriz descobre-se tb no misticismo animista americano e africano e , porque não ver aqui também os vários milhões de deuses das províncias chinesas e orientais, que se fazem transparecer aos olhos dos povos nativos na Agricultura e na Natureza?
Ora, se não há aqui a mão da Velha Babilónia espalhada pelo mundo desde o tempo da sua confusão separativa?
E quem apoia agora o apogeu do Ecumenismo? Não serão os descobridores da velha cultura? os almejadores da língua morta e do seu império que o querem renascido das cinzas, qual Fénix?
Eis o tempo de Apocalipse 17.17. Eis o tempo do reinado do anti-Cristo.
Sede sóbrios, vigiai e orai para que o diabo vos não trague. Sede sábios como a serpente e desviai-vos do mal.


Porque Moisés terá chamado de ave a morcego?
Vejamos que existem evidentes semelhanças para que qualquer ser humano, numa linguagem popular ou mesmo científico-técnica, chame, pelo menos por aproximação, um morcego de ave, porque pareceria a qualquer de nós que um morcego fosse um tipo de ave. Assim como o peixe que engoliu Jonas, não seria um peixe, como um tubarão gigante ou outro de iguais proporções físicas que o pudesse engolir por inteiro, sem sequer o mastigar, mas na verdade o mais provavel, convenha-se, era de que se trataria duma Baleia, - as quais sabemos, agora, não serem peixes, mas sim animais mamíferos; mamíferos que típicamente habitam na terra e não no mar, não põem ovos, mas dão à luz seres já bastante formados para sobreviverem sem a protecção do ovo, e cujas progenitoras fornecem o leite materno. Mas, como diríamos que a Baleia não é um peixe? Bom, de facto não é, cientificamente falando, mas é no sentido de uma conversa banal quanto à forma que têm e ao ambiente marítimo em que vivem. Será que o morcego não é uma ave porque voa, neste mesmo sentido da linguagem mais corrente? Se não o é, era. Isto porque os estudos que a maioria de nós já vai tendo, tiveram o poder  de aperfeiçoar a nossa linguagem e corrigir nossa percepção, pelo Conhecimento. Mas os Homens da Bíblia narravam o observável pela mera percepção, e não se punham a estudar o comportamento ou a vida animal mais a fundo, para depois escreverem que o animal que engolira Jonas era um "estranho" mamífero marítimo parecido com um peixe muito grande ou que o "rato voante" era isso mesmo, e que chupava o sangue e vivia em grutas aos milhões e eram cegos e se guiavam por radares sonoros que captam a proximidade dos objectos pelo choque das ondas sonoras nesses objectos . O Conhecimento se multiplicou n vezes desde os tempos dos escritores bíblicos. Ora, convenhamos que tais animais enganam.
(Sobre Apocalipse). E como descreveria João um helicóptero? ou um tanque? ou um míssil ou mesmo bomba nuclear?
Como um gafanhoto que faz barulho de milhares de gafanhotos. Como escorpiões que cospem fogo e cujas caudas causam danos. Como fogo que o iníquo faz descer do céu à vista de todos (pela tv). Como estrelas, que ferem uma terça parte dos rios e das àguas e dos bichos, etc. 

Qual a ligação dos textos sagrados com a Teoria da Evolução? Onde a metáfora para que se a suponha? E onde termina?Como? Não há.
Quantas vezes a Ciência não se enganou já, afinal?! Eu advogo o Criacionismo.

O Evolucionismo não nasceu Darwin, mas já na Antiguidade, religiosos gregos acreditavam na Evolução.
Assim que, ainda que o diabo desvie a atenção do Dador da Vida para o sol, ou do Criador para a criatura, ou dos mistérios da Palavra para as teorias científicas, roubando a glória que LHE é devida, quem, no entanto, se atreve a perscrutar os mistérios da Existência e da Palavra, com uma mente aberta e sincera... pasma-se diante daquilo que os céus manifestam (incluindo esta porção terrena, que é um corpo do universo celeste, do Sky, como diriam melhor os ingleses), o louvor ao Grande CRIADOR, que é o Nosso DEUS YHWH.

Sendo JESUS a Sua lâmpada. (Apocalipse 21:23)



+++



* Será que a Ciência tem uma forma diferente de contar a idade nos registos fosseis? Proponho as palestras em vídeo que poderão ser baixadas na Net, do Prof. Adauto Lourenço - Cosmovisões, Como tudo Começou-. (Chamada de meia Noite): http://www.chamada.com.br/links
**Existem casos relatados de pessoas que terão visto anjos e até ao Senhor, que é a lampâda (ver o Documentário: Fenómeno Lazaro, que relata testemunhos de pessoas que passaram por experiências quase-morte), emitindo uma luz mais forte que a do Sol, mas que podia não feria os olhos. Paulo viu essa Luz e assim que se converteu, o ferimento nos seus olhos , caiu com escamas de seus olhos.

***Ver,como exemplo, o artigo Quando as cobras tinham patas: http://www.revistapesquisa.fapesp.br/?art=1924&bd=1&pg=1&lg=


**** Se é cetico quanto a DEUS e acredita nas teorias Evolucionistas da Ciência:  Ora, se a serpente  perdeu seus membros há millhões de anos e o Homem surgiu há muito menos (de acordo com as Teorias Evolucionistas), há que explicar como é possível que , Moises, ao escrever o Genesis, tenha acertado precisamente que a serpente tivera membros e que os perdera. Seria mais uma das hipoteses matemáticamente remotas de se darem por coincidências que Moisés , o "Profeta" haja acertado? - Neste caso, eu digo, como diria Adauto Lourenço (Cientista e Professor)- "Grande é a vossa Fé!"- em acreditar nisso.



***** Ora, a História de JESUS, corrobora Génesis, e claramente ele é inteligível, mesmo no seu aspecto mais figurativo; creio mesmo, que antes de JESUS, já os sábios e  judeus veradadeiros conseguiam perceber o sentido do versículo quanto à profecia, por conseguirem perceber que havia nele uma simples linguagem figurada.

****** Matematicamente, lia eu algures em certa ocasião, a hipótese de se gerar espontaneamente uma mera molécula proteica - um dos primeiros indícios da Vida- é de uma ordem  mais pequena do que 1 para 10 elevado a 40.  Ora, os matemáticos consideram tal número "astronómico", "infinito". A própria Ciência exacta desapoia a Comunidade Dogmática pseudo-Científica e não-exacta,  que faz crer em "Evolucionismos" (os quais pretendem , desta forma, que a Evolução se haja dado espontaneamente em hipóteses como aquela, elevadas sobre si mesmas , várias vezes). Caso para perguntar se,- a ser verdadeira a ínfimidade da hipótese referida, - tal não se constitui numa evidência de que há Alguém que criou a vida na Terra? se não é excluir a  hipótese que lhe é contrária? o que será evidente nesta matéria? - será mais evidente o mapa da evolução humana como nos é apresentado? com todas as probabilidades remotas?...

Sem comentários:

Enviar um comentário